Avaliação do risco de desenvolver Diabetes Mellitus tipo 2 em pacientes atendidos em Unidade Básica de Saúde
PDF (Português (Brasil))

Keywords

Diabetes Mellitus tipo 2
fatores de risco
promoção da saúde

How to Cite

Luz, K., Nunes, T. R. G., Hahn, I. S., & Locatelli, C. (2023). Avaliação do risco de desenvolver Diabetes Mellitus tipo 2 em pacientes atendidos em Unidade Básica de Saúde. Cuadernos De Educación Y Desarrollo, 15(9), 9862–9881. https://doi.org/10.55905/cuadv15n9-100

Abstract

A diabetes mellitus tipo 2 é uma das doenças crônicas não transmissíveis mais prevalentes incidindo em alto índice de mortalidade. Objetivos: Estratificar variáveis e risco de desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2 em pacientes atendidos por uma Unidade Básica de Saúde. Métodos: trata-se de um estudo quantitativo realizado com 324 pacientes. O questionário Findrisc foi aplicado junto a um estudo sociodemográfico. A associação entre as variáveis foi feita através da Correlação de Pearson e Regressão Múltipla Linear com probabilidade de significância de p < 0,05. Resultados: sexo feminino compôs 79,9% da amostra demonstrando um escore significativo na escala de risco para desenvolver diabetes em 10 anos. O histórico de glicemia aumentada no passado, faixa etária e índice de massa corpórea foram as associações mais prevalentes com valor de p < 0,001. Fatores como a prática de exercícios físicos, consumo de frutas, verduras, vegetais e diagnóstico ou uso de medicamentos para HAS também mostram alta correlação com o valor de p < 0,001. Conclusão: se faz necessária a implementação de medidas urgentes para contenção do avanço da doença. Fatores que inferem nos agravos dependem da modificação de estilo de vida.

https://doi.org/10.55905/cuadv15n9-100
PDF (Português (Brasil))

References

ABDALLAH, M. et al. Diagnostic accuracy of the Finnish Diabetes Risk Score (FINDRISC) for the prediction of undiagnosed type 2 diabetes, prediabetes, and metabolic syndrome in the working community of the Lebanese University (LU). Research Square, [s.l.], v. 12, n. 84, 2020. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33014142/.

ATAYOGLU, A. T. et al. Evaluation of the Finnish Diabetes Risk Score (FINDRISC) for diabetes screening in Kayseri, Turkey. Primary Care Diabetes, [s.l.], v. 5, n.14, p. 488-493, 2020. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32029385/.

BAER FILHO, R. et al. Utilização do Finnish Diabetes Risk Score (FINDRISC) como ferramenta para identificação, prevenção e conscientização da diabetes mellitus em adultos da cidade de Santos. Revista Eletrônica Acervo Científico, São Paulo v. 9, p. 1-9, 2020. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/cientifico/article/view/2978.

BARROS, A. et al. Relação da diabetes mellitus tipo 2 e a depressão. Revista Corpus Hippocraticum, São José do Rio Preto, v. 2, n. 1, 2022. Disponível em: http://189.112.117.16/index.php/revista-medicina/article/view/598.

BRASIL. Lei º 10.741/2003. Dispõe sobre o Estatuto da Pessoa Idosa e dá outras providências. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, 2003. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2022/eleicoes-2022-periodo-eleitoral/estatuto-do-idoso-assegura-direitos-de-pessoas-com-60-anos-ou-mais#:~:text=Tais%20reconhecimentos%20fazem%20parte%20do,ou%20superior%20a%2060%20anos.

BRASIL. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas e Agravos Não Transmissíveis no Brasil 2021-2030. Brasília: Ministério da Saúde, 2021. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/publicacoes-svs/doencas-cronicas-nao-transmissiveis-dcnt/09-plano-de-dant-2022_2030.pdf/.

BRASIL. Portaria nº 371, de 04 de março de 2002. Institui o Programa Nacional de Assistência Farmacêutica para Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus, parte integrante do Plano Nacional de Reorganização da Atenção a Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus. Brasília: Ministério da Saúde, 2002. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0371_04_03_2002_rep.html.

CAMPO-TORREGROZA, E. et al. Riesgo de padecer diabetes mellitus tipo 2 en una población adulta del Caribe colombiano. Revista Cubana de Enfermería, Ciudad de la Habana , v. 37, n. 4, p. 1-16, 2021. Disponível em: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0864-03192021000400012&lng=es&nrm=iso.

CÂNDIDO, J. A. B. et al. Findrisk: estratificação do risco para diabetes mellitus na saúde coletiva. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 30, n. 3, p. 1-8, jul./set, 2017. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/6118.

CHAMBEL, B.; SANTOS, C. História Familiar como Estratégia de Prevenção de Diabetes Mellitus. Revista Portuguesa de Diabetes, Lisboa, v. 15, n. 1, p. 16-8, 2020. Disponível em: http://www.revportdiabetes.com/wp-content/uploads/2020/05/RPD-Mar%C3%A7o-2020-Revis%C3%A3o-Breve-p%C3%A1gs-16-18.pdf.

CONCEIÇÃO, A. L. O. et al. Translation, cross-cultural adaptation and validation of the Finnish Diabetes Risk Score (FINDRISC) for use in Brazilian Portuguese: questionnaire validity study. São Paulo Medical Journal, São Paulo, v. 138, n.3, p. 244-252, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/spmj/a/BztqHmqCSdyWmD5pPQc3fgR/?format=pdf&lang=en.

DANTAS, R. et al. Utilização do FINDRISC no rastreio da diabetes em utentes assintomáticos. Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, [s.l.], v.12, n.1, p. 45-51, 2017. Disponível em: https://www.spedmjournal.com/section.php?id=108.

DANTAS, R. R.; SILVA, G. A. P. The role of the obesogenic environmente and parental lifestyles in infant feedind behavior. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 37, n. 3, p. 363–371, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rpp/a/dg3NhhpRT7NMrMxdnW737vM/abstract/?lang=pt#

DEMIRBAS, N; KUTLU, R. Comparison of Triglyceride/Glucose Index with the FINDRISC Diabetes Risk Questionnaire in Determining Diabetes Risk in Individuals Attending Periodic Health Examinations. Medical Journal of Bakirkoy, [s.l.], v. 16, n. 2, p.165-173, 2020. Disponível em: https://cms.galenos.com.tr/Uploads/Article_47737/BTD-16-165-En.pdf.

DIAS, A. F. F; SPANHOL-FINOCCHIO, C. P.; MARIANI, M. A. P. Escaneamento de políticas públicas brasileiras de alimentação a partir do Nourishing Framework. Economia e Região, Londrina, v. 10, n. 1, p. 53-65, 2022. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/ecoreg/article/view/42236.

DOAN, L. et al. ModAsian FINDRISC as a Screening Tool for People with Undiagnosed Type 2 Diabetes Mellitus in Vietnam: A Community-Based Cross-Sectional Study. Journal of Multidisciplinary Healthcare, [s.l.], v. 16, p. 439-449, 2023. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/epdf/10.2147/JMDH.S398455?needAccess=true&role=button.

FLOR, L. S; CAMPOS, M. R. Prevalência de diabetes mellitus e fatores associados na população adulta brasileira: evidências de um inquérito de base populacional. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 16-29. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/sHGVt9sy9YdGcGNWXyhh8GL/?lang=pt#.

GNAVI, R. et al. Opportunistic screening for type 2 diabetes in community pharmacies. Results from a region-wide experience in Italy. Plos One, [s.l.], n.3, v.15, p. 1-11, 2020. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7080237/.

IDF – FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE DIABETES. IDF Diabetes Atlas. Bruxelas: IDF, 2021. Disponível em: https://diabetesatlas.org/idfawp/resource-files/2021/07/IDF_Atlas_10th_Edition_2021.pdf.

LIMA, C. G. et al. Circunferência da cintura ou abdominal? Uma revisão crítica dos referenciais metodológicos. Revista Simbio-Logias, [s.l.], v. 4, n. 6, 2011. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/281034421_CIRCUNFERENCIA_DA_CINTURA_OU_ABDOMINAL_UMA_REVISAO_CRITICA_DOS_REFERENCIAIS_METODOLOGICOS.

LIMA, C. L. J. et al. Rastreamento do risco para desenvolvimento do Diabetes Mellitus em usuários da Atenção Básica de Saúde. Enfermeria Global, [s.l.], n. 52, p 110-123, 2018. Disponível em: https://scielo.isciii.es/pdf/eg/v17n52/pt_1695-6141-eg-17-52-97.pdf.

LUCIO, M. C. M. et al. Fatores associados ao diabetes mellitus tipo 2 entre trabalhadores de uma empresa pública de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, São Paulo, v. 17, n. 3, p. 292-299, 2019. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1104207.

MARINHO, N. B. P. et al. Risco para diabetes mellitus tipo 2 e fatores associados. Acta Paulista Enfermagem, São Paulo, v. 26, n. 6, p. 569-574, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ape/a/3T68t9zwFD6KVZmK7JjdRYJ/?format=pdf&lang=pt.

MOREIRA, J. C. et al. Ansiedade e/ou depressão em pessoas com diabetes mellitus tipo 2: uma revisão integrativa. Revista Enfermagem Atual In Derme, [s. l.], v. 96, n. 38, p. 1-24, 2022. Disponível em: https://www.revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1318.

MUSTAFINA, S. V. et al. The Risk of Type 2 Diabetes Mellitus in a Russian Population Cohort According to Data from the HAPIEE Project. Journal of Personalized Medicine, [s.l.], v. 2, n. 11, p. 1-15, 2021. Disponível em: https://www.mdpi.com/2075-4426/11/2/119.

RIBEIRO, G. C. et al. Importância do rastreamento e estratificação do risco para organização do cuidado do diabetes mellitus na atenção primária. Revista Qualidade HC, Ribeirão Preto, p. 201-204, 2020. Disponível em: https://www.hcrp.usp.br/revistaqualidadehc/uploads/Artigos/389/389.pdf.

SINGH, A. K.; KHUNTI, K. COVID-19 and Diabetes. Annual Review of Medicine, [s.l.], v. 73, p. 129-147, 2022. Disponível em: https://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev-med-042220-011857.

SOWUNMI, O. S; BHAKTA, D. Prevalence of prediabetes in an urban Nigerian population using the Finnish Diabetes Risk Score. The North African Jornal of Food and Nutrition Research, [s.l.], v. 6, n. 14, p.144-153, 2022. Disponível em: https://najfnr.com/home/article/view/234.

VANDERSMISSEN, G. J. M.; GOODDERIS, L. Evaluation of the Finnish Diabetes Risk Score (FINDRISC) for diabetes screening in occupational health care. International Journal of Occupational Medicine and Environmental Health, [s.l.], v. 28, n. 3, p. 587-591, 2015. Disponível em: http://ijomeh.eu/Evaluation-of-the-Finnish-Diabetes-Risk-Score-FINDRISC-for-diabetes-screening-in-occupational-health-care,2332,0,2.html.

ZARDO, M. et al. Rastreamento de fatores de risco para diabetes tipo 2 em trabalhadores de uma indústria da cidade de Concórdia-SC. Revista Perspectiva, Erechim, v. 39, n. 145, p. 95-95, 2015. Disponível em: https://www.uricer.edu.br/site/pdfs/perspectiva/145_484.pdf.